dolanepatricia@gmail.com

Whatsapp:95 99111-3740

Quarta, 29 Agosto 2018 19:59

Quebrando Silêncio Destaque

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)
Quebrando o Silêncio Quebrando o Silêncio

A CORRIDA QUEBRANDO O SILÊNCIO

E O SUICÍDIO

*Dolane Patrícia

 

 

De todas as campanhas que existe, Quebrando o Silêncio é a mais fascinante! Seja pelo número de pessoas envolvidas, seja pela magnitude dos eventos realizados, isso sem contar com a escolha dos temas da Campanha a cada ano, sempre atuais e relevantes. Esse ano o tema é Suicídio.

Dentro da Campanha existe a corrida Quebrando o Silêncio, que acontece a cada dois anos, esse ano vem com o título: Todos Pela Vida!

A corrida acontecerá no dia 09 de setembro, já fazendo conexão direta com o setembro. A data da corrida e a cor da camisa propositalmente amarela, já traz em si mesma um apelo direto ao “setembro amarelo”.

O site minutosaudável.com, inclusive, esclarece que o Setembro amarelo é uma campanha do Centro de Valorização da Vida que busca trazer o diálogo sobre o suicídio para a sociedade, sendo este exatamente o apelo da campanha.

O site apresenta dados alarmantes sobre o suicídio: “No mundo todo, aproximadamente uma pessoa se mata a cada 40 segundos. Só no Brasil, o suicídio é a quarta causa mais comum de morte de jovens. O assunto é um tabu. Não falamos dele. A mídia evita por medo de aumentar os números, as pessoas evitam por medo do assunto em si e com isso, acabamos cortando o diálogo necessário.”

 

A Corrida Quebrando o Silêncio, traz à tona essa discussão e está sendo organizada pela Igreja Adventista do 7º Dia, que busca também a inclusão social. Todos poderão participar, inclusive crianças a partir de 1 ano e pessoas da melhor idade.

A largada será às 07:00h no Shopping Garden, com o objetivo de incentivar a prática desportiva individual das crianças e dos Jovens e conscientizar a todos da importância de cuidarmos de um dos oito princípios estabelecido por Deus, que é o exercício físico.

Um ponto forte da corrida é a participação de usuário de Cadeira de Rodas e Deficiente Visual, promovendo assim, a inclusão de todos nessa belíssima campanha pela vida! A propósito, haverá prêmios para os vencedores, por categoria, além do troféu.

O evento é belíssimo! Convido você a participar dessa grande Campanha que já distribuiu mais de 15 mil livros em Boa Vista, O Poder da Esperança, que trata de problemas emocionais como depressão, ansiedade, estresse, culpas e traumas. Agora a campanha chega ao seu momento mais marcante que é a corrida Quebrando o Silêncio!

As inscrições poderão ser realizadas pela internet exclusivamente no site: www.ticketagora.com.br e também na Escola Adventista de Boa Vista. 

 

Para quem ainda não inscreveu seu filho, aqui vai o apelo para que você inscreva toda a sua família, uma vez que não se trata apenas de uma corrida, é um movimento pela vida!

O kit de participação do evento, vinculado à taxa de inscrição e composto de 01 sacola; 01 camiseta, 01 viseira, 01 chip de cronometragem descartável e 01 número de peito. As crianças ficarão encantadas.

A entrega dos kits será realizada na data: 5, 6 e 7 de setembro, no horário das 10h às 22h, no dia 7 da 10h às 16h no Roraima Garden Shopping.

Você pode obter maiores informações sobre a corrida através do telefone 99111-3740, pode inscrever toda sua família e participar desse evento, contribuindo para a reflexão sobre o tema.

Muitos evitam falar sobre o suicídio, mas, na verdade, se alguém falar com uma pessoa fragilizada sobre suicídio, reconhecer que o estado emocional do indivíduo é real, e tentar normalizar a situação induzida pelo stress, são componentes necessários para a redução da ideação suicida.

Talvez o maior problema seja exatamente o silêncio sobre o assunto! O site www.revistaeducacao.com.br, trata dessa problemática chamando a atenção para algumas questões importantes numa visão da psiquiatria, dentre os quais podemos citar os seguintes:

 

“Os suicidas estão passando, quase que invariavelmente, por uma doença mental que altera de forma radical sua percepção da realidade e, como consequência, interfere no livre-arbítrio. Uma grande pesquisa publicada no site mostra que em apenas 3,2% dos casos analisados não foi identificada alguma doença mental . O tratamento eficaz da doença mental é o pilar mais importante da prevenção. Após os cuidados, o desejo de se matar desaparece em praticamente todos os casos.” (sic)

Isto posto, em quase totalidade dos casos, o risco de suicídio desaparece quando tratado com eficácia.

Outro ponto que merece destaque quando o assunto é suicídio, é quando se fala em reincidência:” Quem sobrevive a uma tentativa de suicídio não está livre do problema. “Sem tratamento, os períodos de recuperação da crise, em casa ou no hospital, estão entre os mais perigosos. Pacientes que tentaram uma vez têm de cinco a seis vezes mais chances de buscar o suicídio em outra ocasião.”

“Metade dos que se suicidaram no mundo haviam tentado ao menos uma vez antes, dizem as estatísticas.” O site ressalta que quase todo suicida tinha uma doença psiquiátrica sem diagnóstico, cuidado adequado ou mesmo qualquer tratamento”.

É importante falar sobre o assunto, pois estamos diante de um problema de saúde pública, ressaltando que não haverá qualquer incentivo ao suicídio falando sobre sua prevenção.

Somando a isto, existe o fato de que precisamos falar que vale a pena viver, apesar de que as vezes apanhamos da vida e pode acreditar que “ninguém vai bater mais forte em você do que ela, mas, não importa como você bate e sim o quanto aguenta apanhar e continuar lutando, o quanto pode suportar e seguir em frente. E na corrida da vida, é assim que se ganha!” (sic)

 

*Advogada, Juíza Arbitral, Mestre em Desenvolvimento Regional da Amazônia, Pós Graduada em Direito Processual Civil. Diretora do Clube Mulher Mais no Distrito Central. Adventista do 7º Dia. WhatsApp: 9111-3740. Acesse dolanepatricia.com.br.

Lido 71 vezes Última modificação em Quinta, 30 Agosto 2018 03:36
Dra Dolane Patricia

*Advogada, juíza arbitral, Personalidade da Amazônia e

Personalidade Brasileira. Pós-Graduada em Direito Processual Civil, Pós

Graduanda em Direito de Família, Mestranda em Desenvolvimento Regional da

Amazônia.

Mais nesta categoria: « A PEC 241 Zika desafia o mundo »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.